Celular bom e barato para jogos: 5 opções abaixo dos R$ 2.000!


Maurício Amaro
Maurício Amaro

Ter um celular bom e barato para jogos no Brasil é um desafio. Se você está atrás de um aparelho que rode bem seus jogos preferidos, terá de abrir um pouquinho a carteira. Para facilitar sua vida, trouxemos 5 modelos relativamente em conta, que permitem jogar sem travamentos grande parte dos games atuais.

NOTA: celulares para jogos por norma têm características bem específicas, que fazem com que eles sejam mais caros que outros comuns. Por essa razão consideramos baratos para esta lista celulares que rondam entre os R$ 1.200 e os R$ 2.000. Abaixo dessa faixa de preço você terá smartphones com pouco armazenamento (16GB) e com processador Dual Core, que não roda a maioria dos games mais atuais.

1. Xiaomi Redmi Note 8 Pro - a partir de R$ 1.759

Xiaomi Redmi Note 8 Pro

Especificações técnicas:

  • Processador: Octa-Core de 2 GHz
  • Armazenamento: 128 GB expansível até 256 GB
  • Memória RAM: 6GB
  • Display: resolução de 2340x1080 pixel e 6.53 polegadas de tamanho
  • Bateria: 4500 mAh

2. Samsung Galaxy A51 - a partir de R$ 1.789

Samsung Galaxy A51

Especificações técnicas:

  • Processador: Octa-Core de 2 GHz
  • Armazenamento: 128 GB expansível até 512 GB
  • Memória RAM: 4GB
  • Display: resolução de 720 x 1560 pixel e 6.5 polegadas de tamanho
  • Bateria: 4000 mAh

3. Xiaomi Mi A3 - a partir de R$ 1.479

Xiaomi Mi A3

Especificações técnicas:

  • Processador: Octa-Core de 1.9 GHz
  • Armazenamento: 64 GB expansível até 256 GB
  • Memória RAM: 4GB
  • Display: resolução de 1560x720 pixel e 6.08 polegadas de tamanho
  • Bateria: 4030 mAh

4. Xiaomi Redmi Note 8 - a partir de R$ 1.397

xiaomi redmi note 8

Especificações técnicas:

  • Processador: Octa-Core de 1.9 GHz
  • Armazenamento: 64 GB expansível até 256 GB
  • Memória RAM: 4GB
  • Display: resolução de 2340x1080 pixel e 6.3 polegadas de tamanho
  • Bateria: 4000 mAh

5. Moto G8 - a partir de R$ 1.269

Moto G8

Especificações técnicas:

  • Processador: Octa-Core de 1.9 GHz
  • Armazenamento: 64 GB expansível até 256 GB
  • Memória RAM: 4GB
  • Display: resolução de 1560x720 pixel e 6.3 polegadas de tamanho
  • Bateria: 4000 mAh

O que considerar ao comprar um celular para jogos?

Quando você quer comprar um celular para jogar precisa ter atenção a 4 fatores:

  • Processador
  • Armazenamento
  • Memória RAM
  • Bateria

O celular "perfeito" é aquele que tem specs excelentes nesses 4 quesitos. Mas como avaliar o que é excelente nesses fatores? Vamos pegar como exemplo o Xiaomi Redmi Note 8 Pro, que é o melhor da lista acima.

O armazenamento deve ser de preferência sempre acima dos 2.0 GHz, com Octa-Core, pois isso é responsável por dar rapidez ao celular. Como um celular não é um console, você vai usá-lo para outras tarefas, que vão exigir do processador, como apps de música ou mesmo o WhatsApp.

O armazenamento vai na mesma lógica. Um celular com 16 GB de espaço na verdade tem entre 8 e 10 livres, pois quase metade vai para o Sistema Operacional. Ou seja: não dá para ter muitos jogos! O ideal é ter um smartphone com 64 GB no total. Isso garante ter espaço para apps normais e para vários jogos e suas atualizações, que são constantes!

Quanto à Memória RAM: hoje um celular top de linha tem de 6 GB para cima, co mo o Note 8 Pro da Xiaomi. Porém com 4 GB já dá para fazer bastante coisa! A RAM vai se distribuir pelos diferentes usos do aparelho, por isso quanto mais RAM tiver, mais rápido o celular será.

Por fim, a bateria. Quando maior o mAh, mais dura a bateria. Celulares medianos costumam ter em torno de 2500 mAh a 3000. Se você não joga ou não usa muito o aparelho, está bom. Mas para jogar, algo que consome muita bateria, de 4000 mAh para cima sempre!

Por isso nunca veremos um iPhone em uma lista dessas: o iPhone 11 tem bateria de 3110 mAh, por exemplo. Dura bem pouco...

Outras dicas de celulares que podem lhe interessar:

Maurício Amaro
Maurício Amaro
Acadêmico e pesquisador na área de Game Studies, iniciou suas aventuras pelo mundo dos jogos ainda na infância, nos Arcades de Mortal Kombat. É fã incondicional dos games single player, mas não nega uma partidinha de FIFA no modo Online quando tem um tempo livre.