Os 10 melhores jogos de PSP para quem gosta do portátil!


Maurício Amaro
Maurício Amaro

O PSP foi o primeiro portátil criado pela Sony. Apesar de nunca ter feito o mesmo sucesso de seus primos consoles, como PlayStation 1 e 2, chegou a conquistar um bom número de jogadores em todo mundo. Afinal recebeu jogos de grandes franquias, como as de God of War e Final Fantasy.

Neste artigo nós separamos os 10 melhores jogos de PSP que você definitivamente precisa jogar se ainda tem o portátil ou se planeja comprar um! Veja abaixo!

1. Crisis Core: Final Fantasy VII

Crisis Core: Final Fantasy VII

Esse provavelmente é o melhor jogo do PSP. Crisis Core: Final Fantasy VII é um prequel de FFVII. Ele é maravilhoso por vários motivos. Primeiro porque mantém a qualidade no gameplay. Como RPG de ação, não há um título que supere Crisis Core no PSP. Todas as mecânicas de luta de FFVII foram aperfeiçoadas e estão incríveis!

E, claro, a história. Nesse jogo conhecemos o passado de Cloud e de Sephiroth, em um enredo profundo, com diálogos super interessantes. É um jogo essencial para quem jogou FFVII e mesmo para quem ainda não jogou. Principalmente agora que Final Fantasy VII Remake vem aí.

2. God of War: Ghost of Sparta

Ghost of Sparta

God of War: Ghost of Sparta é quase um spin-off da franquia, que, infelizmente, apenas os donos de um PSP puderam jogar. Ele se situa entre o primeiro e o segundo GoW da primeira trilogia. Kratos já é Deus da Guerra, e agora ficamos sabendo de algumas informações interessantes sobre o seu passado.

Descobrimos como ele ganha sua marca, conhecemos o irmão do espartano, Deimos, além de sua mãe. É um jogo muito importante na mitologia de Kratos, visto que muitos mistérios do primeiro e mesmo do segundo jogo são revelados. Principalmente sobre a relação entre o Fantasma de Esparta e Ares.

A mecânica de jogo segue o sucesso do primeiro título, em estilo hack n' slash, sendo, portanto, um jogo super simples de ser zerado. Vale muito a pena para quem gosta de mitologia grega e para quem acompanhou as aventuras do espartano no primeiro game.

3. God of War: Chains of Olympus

Chains of Olympus

Chains of Olympus se passa entre God of War: Ascension e God of War. É um jogo bem dramático e é o primeiro da franquia para PSP. Nele, Kratos luta a favor dos deuses do Olimpo, ainda lamentando o fato de ter matado sua família. Ele precisa encontrar o deus Hélio, o sol, que foi sequestrado pelo titã Atlas.

Em termos de gameplay, é o sucesso ao qual estamos habituados. Dar golpes, usar magias e explorar cenários míticos é o que você vai fazer durante todo o título. Há novas criaturas mitológicas, como um basilisco, e novos deuses surgem diante do matador de divindades. É um jogo simples, mas que conquista, obviamente, por sua narrativa.

4. Metal Gear: Peace Walker

Metal Gear: Peace Walker

Não existe um Metal Gear ruim. E Peace Walker é um grande destaque da franquia por ser um dos melhores stealth games do PSP. O jogo é tão bom que ganhou versão para PS3 e entrou em uma coletânea remasterizada, a Metal Gear Solid HD Collection.

Esse título permite missões cooperativas, incluindo táticas de jogabilidade que favorecem o trabalho em equipe. A mecânica de movimentação e de combate foi adaptada de vários títulos anteriores da franquia. Há visão de tiro por cima do ombro, dá para se mover agachado, mas não enquanto estiver deitado.

Em termos de enredo, se passa 10 anos após os eventos de Metal Gear Solid 3, focando-se novamente em Naked Snake, também conhecido como Big Boss.

5. Silent Hill Origins

Silent Hill Origins

Silent Hill Origins é um dos jogos que todo dono de PSP precisa jogar. É em terceira pessoa, com aquelas mudanças de ângulo típicas da série. Os controles são em 2D, para otimizar a performance. O sistema de combate foi aprimorado, e todas as armas são finitas. Ou seja: elas quebram depois de alguns usos.

Apesar de não poder fugir dos inimigos, o protagonista Travis pode se desvencilhar caso seja agarrado. A presença do Mundo Alternativo é outro ponto forte do game. Principalmente porque suas ações em um mundo são refletidas no outro.

No geral, a experiência de terror segue firme e forte, principalmente pela ambientação escura e pela trilha sonora focada apenas nos detalhes.

6. GTA: Vice City Stories

GTA Vice City Stories

Vice City Stories segue a mesma ideia de Liberty City Stories, que é contar uma história alternativa em um cenário já conhecido pelos jogadores. Em vez de Lance Vance agora controlamos Victor Vance, seu irmão. A trama ocorre 2 anos antes de GTA: Vice City, em uma cidade um pouco diferente, com vários prédios em construção.

Vic Vance é certinho, inclusive fazendo parte do Exército. Um dos seus supervisores, no entanto, corrupto, obriga-o a comandar um negócio de tráfico de drogas. Aí você pode imaginar que as coisas dão errado e que Vance se mete em dezenas de missões para sobreviver a tudo isso.

Claro que com direito a perseguições de carro, muito tiroteio e aqueles belos passeios pela cidade que só GTA consegue proporcionar.

7. Monster Hunter Freedom Unite

Monster Hunter Freedom Unite

Monster Hunter Freedom Unite faz parte de uma das franquias mais legais dos videogames. Nessa versão portátil, o jogador, obviamente, encarna um caçador de monstros. Ele foi atacado por um Tigrex, tendo caído de uma montanha e perdido parte de sua memória.

Assim começa o jogo, com o jogador tendo de recuperar suas habilidades e reaprender algumas delas. A partir de então é possível escolher entre o modo single ou multiplayer. O modo single segue 4 tipos de missões diferentes. Quanto mais missões se realiza, mais perto fica de enfrentar o Boss de um determinado nível de poder, podendo passar para o outro.

Esse jogo é bastante desafiador e é considerado um dos mais difíceis da franquia. Vale muito a pena, pois, além do gameplay fantástico, traz gráficos muito bons para o PSP.

8. Kingdom Hearts: Birth by Sleep

Birth by Sleep PSP

Claro que o nosso Top 10 não poderia deixar de mencionar Kingdom Hearts: Birth by Sleep. Ele serve como prequela de toda a franquia, passando-se 10 anos antes do primeiro KH. O jogo foca-se em Terra, Aqua e Ventus, personagens que seguem na missão de proteger os mundos animados de criaturas malignas.

Em termos de gameplay é um dos títulos mais diferentes da franquia. Cada personagem tem um ajudante específico, além de ter técnicas e magias próprias. Algo bem diferente do que vemos nos outros games, em que Sora domina vários poderes diferentes.

Cada personagem tem seu próprio "caminho" a ser explorado, o que torna a narrativa até bastante ampla. Principalmente porque cada mundo do jogo conta com um minigame próprio depois de todos os objetivos do mundo serem cumpridos. Esse minigame serve para dar itens e habilidades extras.

9. Assassin's Creed: Bloodlines

Assassin's Creed Bloodlines

Outra franquia excepcional que marca presença no PSP. Assassin's Creed: Bloodlines se passa entre os dois primeiros games da série. Ele traz a mesma dinâmica dos jogos principais, com um mundo aberto a ser explorado pelo jogador. A narrativa não é linear, havendo diversas missões secundárias a serem cumpridas.

Altair está de volta, agora na ilha de Chipre. Ele deixou a Terra Santa para continuar sua missão de assassinar os Cavaleiros Templários. Contudo o foco principal do game é explicar a relação entre Altair, Desmond e Ezio, ambos descendentes do primeiro assassino mostrado na franquia.

Quanto à jogabilidade, espere o sucesso dos demais jogos: furtividade, parkour e diversas formas diferentes de matar seus inimigos.

10. Yu-Gi-Oh! GX: Tag Force 3

Yu-Gi-Oh! GX: Tag Force 3

O terceiro título da série Tag Force é o quarto com mais cartas de toda a franquia. São exatamente 3501 cartas jogáveis, o que é muita coisa. Ele é baseado na quarta temporada do anime, na saga GX, mas não segue exatamente a história principal do desenho. Na verdade, em termos narrativos é bastante confuso, o que não agradou muito os fãs.

Ainda assim, vale muito a pena por ter coroado a série Tag Force, iniciada no PSP. É o primeiro jogo da franquia a permitir que os jogadores escolham uma personagem feminina para controlarem. O destaque, na opinião dos jogadores, é poder usar cartas que não são do GX, como os Synchros.

Maurício Amaro
Maurício Amaro
Acadêmico e pesquisador na área de Game Studies, iniciou suas aventuras pelo mundo dos jogos ainda na infância, nos Arcades de Mortal Kombat. É fã incondicional dos games single player, mas não nega uma partidinha de FIFA no modo Online quando tem um tempo livre.